Segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

A metáfora.

As gotas de chuva caíam na pele pálida e queimavam como a cada toque dele, cada palavra, cada sorriso, cada olhar, queimam, ardem, como o diabo disfarçado de carneiro enquanto passeia pelo coração impuro. Que eufemismo tão grande quando dizia que tudo aquilo era errado, erradamente certo entre toda aquela neblina confusa que a vida se tornara. 

O que fazer quando se é fruto entre Deus e o Diabo? Uma mistura entre Adão e Eva ou então a cobra rastejantemente imunda e repleta de pecado?

Sou o fogo e a água, algo incompreensivel, uma metáfora.

with love, hope às 22:48
link | comentar | favorito (1)
hope © 2010 - 2017