Sábado, 16 de Setembro de 2017

Vou ser enfermeira, porquê?

(escrevi este texto no meu outro blog e decidi publicar aqui também)

No presente, sou aluna de enfermagem de 4º ano. E já vi tanto. Senti tanto.

Não consigo descrever a profunda tristeza que sinto ao ler comentários da opinião pública. Da falta de informação, de empatia, reconhecimento, valorização. Magoa, magoa muito.

Na minha curta experiência como quase-enfermeira já vi um pouco de tudo. Não sou forte, nem rija como deveria de ser, muitas vezes tenho vontade de chorar e muitas vezes vou para a casa de banho e choro até passar-me a dor na alma.

Tinha 19 anos quando ajudei o meu primeiro doente a morrer, quando agarrei-lhe na mão e ouvi-lhe o último suspiro, chorei no caminho para casa. Com a mesma idade, cuidei de uma pessoa já morta, fiquei tão impressionada que não sabia se tinha vontade de chorar ou vomitar, fiz os dois.

Com 21 anos vi pela primeira vez um recém-nascido entre a vida e a morte. Estava no bloco operatório e vi um bebé a nascer, um momento que deveria de ser algo bonito e especial não o foi, o bebé saíu negro como a noite devido à falta de oxigénio e vi-me confrontada em controlar as lágrimas quando estava rodeada de médicos e enfermeiros. Vi um bebé a lutar pela vida, fiquei tão perturbada que disse nunca mais. Esse nunca mais já lá vai algum tempo e continuo aqui, não sei porquê, se é porque estou destinada a fazer isto ou se não tenho coragem de desistir.

Por vezes dúvido da minha escolha, dúvido se fiz bem em optar por esta profissão, muitas vezes acho que fiz a escolha certa, outras tantas pergunto-me o quê que tinha na cabeça. Tento sempre dar o meu melhor, ser feliz no que faço, mostrar aos meus doentes que tenho gosto de estar ali com eles, mas depois vem tudo ao de cima, as faltas de condições, o desrespeito, sobrecarga, esgotamentos, falta de valorização. Estamos estagnados há uma década. Somos os únicos licenciados que recebem 1000€ quanto que todos os outros é 1400€ porquê? Somos menos que alguém? Não somos tão importantes? Por mais que tente, não chego a conclusão alguma.

Gastamos milhares de euros dos nossos bolsos em formações, mestrados, doutoramentos, com o fim de sermos capazes de prestar cuidados cada vez melhores aos nossos doentes e somos criticados por querermos um ordenado melhor. Porquê?

Irmã e cunhado enfermeiros, namorado enfermeiro, eu a uma curva de ser enfermeira e vejo as nossas vidas mal-paradas.

Porquê que não nos apoiam? Não nos compreendem? Porquê? Não queremos ser mais do que ninguém, não queremos receber mais do que os médicos, não queremos uma guerra. Queremos os nossos direitos que nos foram tirados, será que é pedir muito?

Damos tanto e recebemos tão pouco em troca.

Porquê?

Vou ser enfermeira, porquê? Com o decorrer desta semana, já não sei.

with love, hope às 14:01
link | comentar | favorito (3)
14 comentários:
De Marta Elle a 19 de Setembro de 2017 às 10:04
Os enfermeiros acabam por estar mais próximos dos doentes que os médicos, por isso acho injusto que recebam tão pouco.
Espero que consigam o que pretendem com a greve.
De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 19 de Setembro de 2017 às 10:30
O vosso base são 1200. Os únicos licenciados que não recebem como licenciados na saúde não são vocês.
De maria Silva a 19 de Setembro de 2017 às 11:31
Sem querer tirar o mérito da sua profissão, não recorram a argumentos falsos. Não são os únicos licenciados a ganhar 1000€,o vosso valor de base são 1200€ e os Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica, esses sim tem como valor base ILIQUIDO 1020€, que após os descontos dá entre 800-900€.
De inês a 19 de Setembro de 2017 às 12:35
Vai ser enfermeira porque a sua é uma profissão de enorme nobreza e, pelo que escreve, tem a alma de alguém que se importa com o sofrimento dos outros, o que é fundamental para seguir este caminho.
Sabe, estas coisas dos sindicatos e da imprensa e da sua mal orientada Ordem, valem o que valem - que é pouco. O valor maior é o da Vida dos seus doentes (ou dos que morrem consigo em vez de morrerem sozinhos e angustiados) é o que verdadeiramente faz a diferença para quem trata de outras pessoas.
Não se deixe impressionar, mais cedo que tarde hão-de rever as vossas carreiras e ordenados porque a situação actual é muito injusta. Os doentes e famílias nem sempre a vão tratar bem, a opinião pública é a voz de um povo mal informado sedento de guerrilhas (não ligue). O que importa, e faz a diferença, é o seu coração e a entrega ao cuidado de alguém frágil e doente.
Não desista, precisamos todos de si e dos nos Enfermeiros de verdade. Eu sei porque sou médica há 30 anos e os conheço bem :)
Abraço.
De FP a 19 de Setembro de 2017 às 12:35
"Estamos estagnados há uma década. Somos os únicos licenciados que recebem 1000€ quanto que todos os outros é 1400€ porquê?" Sem fazer juízos sobre a luta dos enfermeiros, não ouças só o que os sindicatos dizem.
Na administração pública, apenas as forças de segurança e militares têm tido progressões nestes últimos 10 anos.
Um licenciado entra na administração pública com um vencimento bruto de € 1201,48, o que se traduz num valor líquido de aproximadamente € 975.
De inês a 19 de Setembro de 2017 às 12:36
Vai ser enfermeira porque a sua é uma profissão de enorme nobreza e, pelo que escreve, tem a alma de alguém que se importa com o sofrimento dos outros, o que é fundamental para seguir este caminho.
Sabe, estas coisas dos sindicatos e da imprensa e da sua mal orientada Ordem, valem o que valem - que é pouco. O valor maior é o da Vida dos seus doentes (ou dos que morrem consigo em vez de morrerem sozinhos e angustiados), isso é o que verdadeiramente faz a diferença para quem trata de outras pessoas.
Não se deixe impressionar, mais cedo que tarde hão-de rever as vossas carreiras e ordenados porque a situação actual é muito injusta. Os doentes e famílias nem sempre a vão tratar bem, a opinião pública é a voz de um povo mal informado sedento de guerrilhas (não ligue). O que importa, e faz a diferença, é o seu coração e a entrega ao cuidado de alguém frágil e doente.
Não desista, precisamos todos de si e dos Enfermeiros de verdade. Eu sei porque sou médica há 30 anos e os conheço bem :)
Abraço.
De Cat a 19 de Setembro de 2017 às 13:16
Eu estou solidária com a vossa luta mas discordo com o seguinte comentário:
"Somos os únicos licenciados que recebem 1000€ quanto que todos os outros é 1400€ porquê?"

Não são os únicos licenciados a receber 1000€, alguns quando começam a carreira nem 700 recebem.
De Herói do Mar a 19 de Setembro de 2017 às 14:26
Graças aos médicos e aos enfermeiros, posso comentar este texto. A ser verdade que um enfermeiro ganha 1.000 ou 1.200 € por mês, é ridículo. Será que o Fernando Medina ganha 4.000,00 € por mês? Será que aforra metade, 2000? Será que é verdade que com esses ganhos comprou uma habitação por 600.000 €, que é como quem diz, que precisa de 300 meses, isto é, de 25 anos para juntar dinheiro para essa compra? Será que esse grunho já conseguiu fazer mais que zero pela saúde das pessoas? O monhé fez? O monhé vive com 1.000 ou 1.200 € por mês? Conclusão: o monhé é ridículo.
De Maria a 19 de Setembro de 2017 às 14:28
Vou só esclarecer um ponto: os enfermeiros não são os únicos licenciados que recebem 1000€. Eu pertenço à carreira dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica (somos assim designados apenas desde o dia 1 de Setembro deste ano, até aí éramos apenas Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica). Licenciei-me em 2004 e recebo esses mesmos 1000€ por mês. Ao contrário do que diz a vossa bastonária e dirigentes sindicais, os TSDT não ganham 1600€ em base de carreira, não temos ainda sequer tabelas remuneratórias aprovadas. Posso ainda dizer-lhe que um enfermeiro recém-formado que arranje emprego no estado hoje, irá ganhar um vencimento base de 1200€, enquanto que eu, licenciada há 13 anos, continuarei a receber 1020€, tal como acontece com muitos enfermeiros a exercer funções desde antes de 2009. Peço desculpa pelo comentário tão alongado, não é nada pessoal, mas acho que quem está a começar deve estar devidamente esclarecido acerca desta questão. Não desvalorizo a vossa luta que considero perfeitamente justa, apenas digo que os enfermeiros não são os únicos "parentes pobres" da saúde, infelizmente somos mais, muitos mais....
De Beia Folques a 19 de Setembro de 2017 às 14:44
Vai ser enfermeira e uma excelente enfermeira porque tem alma para isso. Não é para todos.

Comentar post

hope © 2010 - 2017